Sociedade

Mulheres foram encorajadas assumirem papel de agentes

Manuela Gomes

A Primeira-dama da República encorajou ontem, em Luanda, às mulheres angolanas, particularmente as mais jovens, a assumir o seu papel enquanto agentes de mudança e influência nas suas comunidades.

Primeira-Dama da República reuniu com mulheres empreendedoras e universitárias
Fotografia: Maria Augusta | Edições Novembro

Ana Dias Lourenço falava num encontro denominado “Pequeno-almoço conferência” por ocasião ao mês de Março, em que estiveram presentes mulheres de vários segmentos da sociedade e outras ligadas à politica angolana.
No encontro, a Primeira- Dama da República começou por homenagear as mulheres, em especial aquelas que no seu dia-a-dia são vítimas de descriminação, da violência, de abusos físicos e psicológicos. Enalteceu também o seu papel na transformação das sociedades e pela luta por mais igualdade e justiça.
Ana Dias Lourenço solicitou o apoio das mulheres, enquanto parceiras, para o sucesso da nobre missão no processo da reconstrução de uma sociedade sã, defensora de princípios, de valores onde a ética, o respeito, a solidariedade e responsabilidade sejam a base de convivência das famílias.
“Estarmos aqui reunidas, encoraja-vos a prosseguir com o nosso papel de advocacia que, em última instância, visa educar a sociedade, em particular as meninas, para que elas possam ser um dia geradoras de rendimentos, agentes de mudança e de influência nas comunidades”, sustentou.
Para ela, é preciso que as mulheres  acreditem mais nas suas capacidades, no talento, trabalho, mas lembrou que não basta apenas acreditar, pois é importante serem humildes, honestas, persistentes e responsáveis para se transformar vidas.
A Primeira-Dama da República enalteceu o facto de não existir ninguém mais capaz de educar, apoiar, sensibilizar, criar, do que uma mulher, uma mãe. Por isso, disse que é neste sentimento que motivou organizar este encontro para juntos partilharem ideias sobre como contribuir para o resgate de valores morais e sociais.
Manifestou-se, por outro lado, preocupada com o futuro das crianças e jovens e disse que tem feito o seu melhor para que cresçam com exemplos fortes, que saibam a importância de fazer o bem e que saibam o que é ser uma boa pessoa.
De acordo com Ana Dias Lourenço, encontros do gé-nero podem construir uma plataforma que permita encontrar formas de juntas contribuírem de forma social, moral e cívica para o desenvolvimento da sociedade angolana.
Durante o “pequeno almoço conferência” foram abordados temas que inci-dem no quotidiano da jovem mulher angolana, tais como “saúde da mulher e saúde mental”, “economia familiar, empreendedorismo” e a “solidariedade”, como forma de contribuição social e moral para o desenvolvimento sócio-económico.
Os temas referidos foram todos apresentados por especialistas nacionais, entre os quais  escritores Samuel Manzambi e Ronaldo Pitagrós.
Houve o momento de perguntas e respostas, onde as participantes poderem expor e ver esclarecidas as suas inquietações em relação aos temas abordados.

A arte musical

A arte musical também marcou presença durante o “Pequeno-almoço conferência”. O momento foi animado pela renomada cantora angolana Yola Semedo, que interpretou dois dos temas musicais do seu vasto reportório. No final do encontro, houve uma sessão fotográfica com a Primeira Dama da República.
Participaram do encontro representantes de associações juvenis, comunitárias e religiosas mulheres empre-endedoras e estudantes universitárias.
Personalidades como as ministras da Cultura, da Acção Social Família e Promoção da Mulher, do Ensino Superior  Ciência Tecnológica e Inovação, da Juventude e Desporto, da Secretária do Presidente da República para os Assuntos Sociais, administradoras e a presidente do Grupo das Mulheres Parlamentares também se fizeram presentes.

Tempo

Multimédia