Sociedade

Mutu-ya-Kevela completa 100 anos de existência

César Esteves

Uma exposição fotográfica e o descerrar de duas placas marca os 100 anos de existência do Liceu Salvador Correia, actualmente Magistério Mutu-ya-Kevela, que se assinala amanhã.

Antigo liceu Salvador Correia, em Luanda
Fotografia: Contreiras Pipa| Edições Novembro

A directora do estabelecimento de ensino, Catarina dos Reis, informou que, para a celebração da data estão previstas diversas actividades, com destaque para o descerrar de duas placas, sendo uma para assinalar o feito e outra para identificar o local como património histórico-cultural.
Quanto à exposição fotográfica, a responsável disse que a mesma irá retratar as três fases da instituição, a primeira sobre o Liceu Salvador Correia, a segunda como Escola Mutu-ya-Kevela e por último como Magistério Mutu-ya-Kevela. Acrescentou que está também agendada uma feira do livro, cujos expositores serão antigos estudantes da escola.
Criado em 22 de Fevereiro de 1919, o Liceu Salvador Correia, actualmente Magistério Mutu-ya-Kevela, é dos mais antigos estabelecimentos de ensino secundário da história de Angola.
A escola, logo após a proclamação da Independência Nacional, passou a designar-se Mutu-ya-Kevela em homenagem ao soberano com o mesmo nome, que se notabilizou na resistência à ocupação e colonização portuguesa em Angola, no Reino do Bailundo.
Pelo Liceu Salvador Correia, passaram várias figuras da sociedade angolana e portuguesa, com destaque para o primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto.
Trata-se de uma das mais emblemáticas construções do século XX que existe em Luanda, tendo, por isso, sido classificada como património histórico-cultural nacional em 1992, por Despacho nº 47, da então Secretaria de Estado da Cultura.

Tempo

Multimédia