Sociedade

“Natal solidário” para crianças seropositivas

Manuela Gomes

Mais de 500 crianças e adolescentes vulneráveis ao VIH/Sida, dos zero aos 14 anos, entre seropositivas e afectadas, vão participar na quarta-feira, em Luanda, de um convívio especial, denominado “Natal solidário”.

Fotografia: DR

A actividade, a quarta do género e que é organizada pela Rede Angolana das Organizações Não Governamentais de Luta Contra o VIH/SIDA (ANASO), decorrerá sob o lema “As crianças precisam de viver e ser felizes”. O momento vai reunir crianças de vários lares de acolhimento e de outras organizações não-governamentais que controlam este grupo de menores.

Em declarações ao Jornal de Angola, Elizabeth Duarte, membro da ANASO, disse que se pretende com a iniciativa chamar atenção à sociedade sobre o apoio social às crianças vulneráveis à epidemia e promover a sua auto-estima.
O evento, a ser realizado no complexo cultural Paz Flor, vai, igualmente, contar com a presença dos padrinhos dessas crianças, no sentido de estender o abraço solidário a favor da vida.
Durante o dia de convívio, as crianças serão brindadas com presentes, como brinquedos e outros brindes. O momento estará, também, reservado à música, dança, jogos e outras atracções.
A Rede Angolana das Organizações e Serviços da Sida (ANASO) é um fórum de organizações não-governamentais. Foi constituída em 1994 e conta com mais de 300 membros espalhados por todo o país.
As principais áreas de intervenção contemplam acções de prevenção, cuidados e assistência, advocacia, capacitação, monitoria e avaliação das actividades das organizações associadas.
Segundo dados da ANASO, em Angola existem cerca de 27 mil crianças a viver com o VIH/Sida e, diariamente, registam-se 15 novas infecções e nove mortes relacionadas com a SIDA.
Os novos dados indicam que há um aumento anualmente de 28 mil novos casos e 13 mil mortes relacionadas, entre adultos e crianças, com maior prevalência nas províncias do Cunene, Cuando Cubango, Moxico, Benguela e Lundas Norte e Sul.
A ANASO controla mais de 1.000 portadores de VIH/Sida em todo o país, através de outras organizações não-governamentais.
A Rede, no quadro das suas actividades, projecta a criação de um plano estratégico com vista ao reforço da capacidade de gestão interna programática para o período de 2019/2022.
O documento tem como foco principal reflectir em torno da organização, analisar as estratégias a adoptar, bem como estudar quais deverão ser as intervenções ou linhas orientadoras para acções futuras.
O plano estratégico, de acordo com os dados da ANASO, vai socorrer os cidadãos, sobretudo nos documentos produzidos no país, no âmbito da luta contra o Sida.

Tempo

Multimédia