Sociedade

Ovos contaminados à venda na Europa

O mercado de 15 países da União Europeia (EUA), Suíça e Hong Kong, na Ásia, receberam ovos contaminados com um pesticida perigoso para a saúde humana.

Fotografia: Santos Pedro

De uma “omeleta científica” nasceu um escândalo: pesquisadores encontraram um pesticida no meio de milhões de ovos. A contaminação aconteceu na Bélgica e na Holanda, mas logo o problema já se tinha espalhado por 16 países europeus e Hong Kong.
O fipronil mata pulgas, carrapatos e piolhos. Só que a Europa não aceita o uso em animais destinados ao consumo humano.
A ingestão do pesticida pode causar enjoo, dor de cabeça e dor de estômago. Em casos mais graves, ataca os rins, o fígado e a tiróide, mas especialistas britânicos explicam que as pessoas só sentiriam esses efeitos se comessem dez mil ovos.
A precaução, sobretudo com as grávidas, fez os principais supermercados retirarem os lotes das prateleiras. Autoridades identificaram 26 suspeitos e prenderam pelo menos duas pessoas. Perto de 200 granjas foram fechadas na Holanda, Bélgica, Alemanha e França.
Sob pressão, a União Europeia convocou uma reunião para melhorar o sistema sanitário e prevenir o crime.
A porta-voz da Comissão Europeia disse que a situação está sob controlo, mas a falha de comunicação é um assunto delicado. A Holanda acusou a Bélgica de saber do problema desde Junho.
Já os belgas afirmam que os holandeses conheciam a contaminação desde Novembro. A Europa quer descobrir onde a fraude nasceu primeiro. Na Holanda ou na Bélgica. O ovo tem altos índices de proteínas e vitaminas A, D e B12, sendo por isso um alimento cheio de nutrientes, pelo que é recomendado por especialistas.
A maioria das pessoas saudáveis pode comer sete ovos por dia sem que isso aumente o risco de incidência de doenças do coração.

Tempo

Multimédia