Sociedade

Papa aceitou a renúncia do bispo Ricardo Ezzati

O Papa Francisco aceitou a renúncia do arcebispo de Santiago do Chile, Ricardo Ezzati, suspeito de encobrir casos de abusos sexuais no seu país. Ezzati era uma das figuras religiosas mais reconhecidas do Chile.

Fotografia: DR

Segundo a agência EFE, a Santa Sé informou em comunicado, ontem, que o Papa aceitou a renúncia apresentada pelo cardeal, sem dar mais detalhes. Para o lugar de Ezzati, Francisco nomeou como administrador apostólico, em “sede vacante”, o monsenhor Celestino Años Braco, que vinha actuando como bispo de Copiapó, cidade localizada no norte do Chile.
Os bispos devem apresentar as renúncias ao Papa ao cumprirem 75 anos, mas, a saída do cardeal, que tem 77, aconteceu num ambiente de denúncias. Em Julho do ano passado, promotores chilenos consideraram Ezzati suspeito de encobrir abusos sexuais infantis cometidos por membros da Igreja Católica e convocaram-no a depor.
Ezzati alegou inocência. “Estou certo de que nunca encobri ou obstruí a Justiça e cumprirei as minhas responsabilidades como cidadão para fornecer todos os antecedentes necessários para chegar à verdade”, disse o então arcebispo.

Tempo

Multimédia