Sociedade

Pastor da Igreja Bom Deus condenado à pena de 40 dias

O líder da Igreja Fraternidade de Pentecostes na África em Angola (IFE-PAA) Bom Deus, Simão Lutumba, foi ontem condenado pelo Tribunal Municipal do Kilamba Kiaxi, em Luanda, à pena suspensa de 40 dias, incluindo o pagamento de 200 kwanzas por dia e a taxa de justiça de 30 mil.

Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

O pastor e o advogado foram detidos domingo, acusados de desobediência e resistência contra a força policial. O advogado foi condenado a 45 dias de prisão, igualmente convertido na multa de 200 kwanzas por dia e a taxa de justiça de 30 mil. Os condenados foram aconselhados a não voltar ao Templo da Igreja Bom Deus, na zona da Sapú, Kilamba Kiaxi, sem antes receberem a ordem do Tribunal Cível da 4ª Secção, sob pena de voltarem a ser detidos.
Num comunicado, o Comando Provincial da Polícia Nacional informa que a interdição do Templo foi decretada na sexta-feira pelo Tribunal Provincial de Luanda, através de uma acção interposta pelo empreiteiro da obra, em função de uma alegada dívida avaliada em dois mil milhões de kwanzas, resultante da sua construção, no Distrito Urbano da Sapú, município do Kilamba Kiaxi.
A Igreja Bom Deus é reconhecida pelo Estado angolano. O templo foi construído num espaço de 20 mil metros quadrados e tem capacidade para acolher 18 mil fiéis. A Polícia acusou Simão Lutumba de ter retirado o selo que interditava o templo, no sábado, e ter tentado forçar a inauguração no domingo. O líder religioso promoveu uma manifestação, nas imediações da Direcção Nacional de Viação e Trânsito, na Avenida Pedro de Castro Van-Dúnem Loy, instalando desordem púbica.

Tempo

Multimédia