Sociedade

Pessoas com deficiência decidem sair à rua em defesa de direitos

Augusto Cuteta

Os repetidos actos de marginalização de que são alvo diariamente nos transportes colectivos de passageiros - táxis e autocarros - vão levar estudantes universitários com deficiência a saírem, no próximo sábado, às  ruas de Luanda, para sensibilizar os operadores desses serviços.

Fotografia: EDIÇÕES NOVEMBRO

O presidente da Associação Nacional de Estudantes Universitários com Deficiência (ANEUD), Micael Daniel, disse que a campanha, a decorrer no centro da cidade de Luanda, principalmente nas paragens da Mutamba e zonas adjacentes, é resultado do incumprimento na aplicação dos direitos de acesso aos transportes colectivos de passageiros com deficiência, como prevê a Lei das Acessibilidades.
Essa situação, explicou a fonte, tem colocado em causa o exercício de outros direitos, como os ligados à educação, ao trabalho e à saúde. Daí a necessidade de acções de consciencialização e sensibilização dos operadores de transportes colectivos de passageiros.
A Associação Nacional de Estudantes Universitários com Deficiência manifesta o seu desapontamento com o facto de os  autocarros e táxis não estarem adaptados para transportar pessoas com deficiência e com a falta de sensibilidade de usuários que chegam a ocupar os poucos espaços reservados a deficientes.
Sob o lema «Eu também sou passageiro, a minha cadeira é parte do meu corpo, ela vai aonde eu vou», a campanha é de carácter informativo e educativo, referiu Micael Daniel.
Espera-se que a  iniciativa, que pode envolver mais de 100 pessoas, entre membros da ANEUD e de outras associações de deficientes físicos, possa ajudar os operadores de transportes colectivos de passageiros “a respeitarem os nossos direitos e a serem cada vez mais solidários para com os passageiros com deficiência”.
Micael Daniel anunciou que campanhas do género vão ser igualmente estendidas para outros pontos da província de Luanda, no sentido de permitir que a mensagem atinja um número maior de pessoas. O responsável associativo explicou que a intenção é mobilizar cada vez mais forças para a causa e fazer com que a Lei das Acessibilidades seja cumprida em todos os sectores, além dos Transportes.
Enquadrada no projecto "Passageiro nº1", a campanha de sensibilização vai ser leva-da a cabo, ainda dentro deste ano, às províncias do Uíge, Benguela, Cuanza-Sul e Huíla, assegurou o presidente da ANEUD.

Tempo

Multimédia