Sociedade

Polícia Nacional vai investir em tecnologias modernas

André da Costa

A Polícia Nacional vai apostar nas novas tecnologias para prevenir a criminalidade, fundamentalmente a violenta, disse, em Luanda, o segundo comandante-geral, comissário-chefe, António Kandela.

Comissário-chefe, António Kandela, fala em nova era
Fotografia: Edições Novembro

Falando, sexta-feira, na abertura das festividades alusivas ao 44º aniversário da Polícia Nacional, que ocorre na próxima sexta-feira, o oficial comissário deu a conhecer a realização de formação técnico-profissional dos efectivos e a monitorização organizacional, de forma a proporcionar um trabalho de qualidade que, garanta ordem e tranquilidade públicas.
António Pedro Kandela disse que para cumprir essa pretensão, a Polícia Nacional lançou, no final do ano passado o projecto "A nossa Esquadra", em Luanda, que se vai estender também para outras províncias do país, de forma paulatina, visando uma maior e melhor aproximação da corporação aos cidadãos.
O projecto, disse, traduz uma nova forma de organização e funcionamento das esquadras policiais como unidades de base de actuação proactiva, no âmbito da prevenção e combate à criminalidade, mediante programas especiais de proximidade, em colaboração com a população.
António Pedro Kandela explicou que a corporação criou condições de actuação no sentido de deixar de ser uma instituição reactiva e passar a ser mais proactiva de maneira a primar pela prevenção primária do crime.
O segundo comandante-geral da Polícia Nacional frisou ser necessário haver parcerias permanentes com os diferentes actores da sociedade, por forma a se atingir níveis de segurança pública aceitáveis.
O chefe de Departamento de Estudos e Planeamento do Ministério das Finanças, Sidney Teixeira, disse, durante uma palestra subordinada ao tema "O custo da segurança pública no contexto actual", que os custos da segurança pública têm a aumentado diariamente devido à crise económica e financeira mundial.

Tempo

Multimédia