Sociedade

SIC faz diligências para prender autores de agressão a estrangeiros

Flávia Massua

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) em Saurimo, província da Lunda Sul, efectua diligências para prender os autores de espancamentos e usurpação de bens de 12 cidadãos da República do Congo Democrático (RDC), que vendiam no mercado de Candembe.

Fotografia: MARIA AUGUSTA

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) em Saurimo, província da Lunda-Sul, efectua diligências para prender os autores de espancamento e usurpação de bens de 12 cidadãos da República do Congo Democrático, que vendiam no mercado paralelo de Candembe.
O comandante provincial em exercício da Polícia Nacional, subcomissário João Ângelo, qualificou o acto de “xenófobo”, estando as vítimas sob protecção do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), a aguardar pelo repatriamento, na sequência da operação “Transparência”, levada a cabo na região nos últimos dias.
O subcomissário defendeu a responsabilização e punição exemplar dos autores da agressão ocorrida no último fim-de-semana em Saurimo, por considerar que o Estado condena essa prática, que, além de desumana, prejudica as relações entre a RDC e Angola.
Segundo o subcomissário, a província da Lunda-Sul faz parte, juntamente com o Bié, Lunda-Norte, Malanje, Zaire e Moxico, das províncias abrangidas pela primeira fase da operação “Transparência”, levada a cabo pelas autoridades angolanas desde o passado dia 25 de Setembro.
Participam na operação, efectivos da Polícia de Guarda Fronteiras, da Polícia Nacional, dos serviços de Investigação Criminal, Migração e Estrangeiros e das Forças Armadas Angolanas (FAA), com o objectivo de repor a legalidade, sobretudo, nas zonas de exploração de diamantes.

Tempo

Multimédia