Sociedade

Poluição do ar debatida em encontro alargado

Edna Mussalo

O presidente da Juventude Ecológica Angolana manifestou-se ontem, em Luanda, preocupado com as mudanças climáticas e da poluição do ar, cujos impactos do fenómeno no planeta afectam directamente a vida dos seres humanos.

Palestrante defende a conservação do meio ambiente
Fotografia: Mota Abrósio|Edições Novembro

José Silva, que falava numa palestra sobre “A Poluição do ar”, disse que tais fenómenos reflectem-se no bem estar dos seres humanos, causando pneumonias, doenças respiratórias e até acidente vascular cerebral (AVC). Lembrou que a poluição a nível climático é referido como um assassino silencioso , devido aos seus efeitos negativos que actuam de forma subtil no meio ambiente. Baseando-se nos dados da Organização Mundial da Saúde, o também ambientalista referiu que a poluição do ar causa 43 por cento das doenças pulmonares no mundo. Durante a palestra o ambientalista fez uma abordagem sobre acção do homem contra a Natureza e a necessidade de o consciencializar no sentido da preservação do meio ambiente. Diante dos problemas climáticos, disse que Angola não consta da lista dos países mais poluídos do mundo. 
Para que Angola se mantenha entre os países menos poluídos do mundo, o presidente da Juventude Ecológica Angolana defende a promoção da educação ambiental.

 

Tempo

Multimédia