Previstas áreas de lazer no largo Samora Machel

Victorino Joaquim |
19 de Maio, 2017

Fotografia: JAIMAGENS | Edições Novembro

O Largo Samora Machel, atribuído à rotunda da ponte sobre o rio Cambamba (vulgo ponte molhada), no município de Talatona, pode ser melhor aproveitado. Para o efeito, está prevista a construção de um jardim, explanada, quadra desportiva, zona de lazer,  um pequeno parque infantil e de um busto da figura do primeiro Presidente de Moçambique.

A informação foi avançada, em Luanda, pela arquitecta Sílvia Rio, quando procedia à apresentação do projecto de requalificação da rotunda, no final da cerimónia de descerramento da placa “Avenida Samora Machel” (rua Luanda-Sul S-8), pelo governador de Luanda, Higino Carneiro, acompanhado do embaixador de Moçambique,  Santos Álvaro.
Sílvia Rio salientou que a empreitada está a cargo da empresa Proficonsult e os trabalhos devem estar concluídos dentro de  oito meses.
O governador de Luanda disse que a atribuição do nome de Samora Machel à rua S-8 da Luanda-Sul, que vai do supermercado “Mundo Verde” à rotunda da ponte sobre o rio Cambamba, é resultado de uma orientação do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, no âmbito do cumprimento da Lei da Toponímia, que visa atribuir nomes de figuras relevantes a nível nacional e internacional.
Higino Carneiro disse que Samorafoi um grande combatente da liberdade, primeiro Presidente de Moçambique e o seu nome deve ser recordado. “Com a atribuição do nome do primeiro Presidente de Moçambique a esta avenida, o nome de Samora Machel, para além de Moçambique, é um património também de Angola”, acrescentou o governador.
O embaixador de Moçambique agradeceu a iniciativa de Angola de atribuir o nome de Samora Machel a uma das mais longas ruas de uma zona nobre.
Este acto, disse o embaixador, é o reconhecimento do papel e contributo  do Presidente Samora Machel à luta de libertação de Moçambique, de Angola e da África Austral.
“Este gesto está revestido de um grande simbolismo político e é um grande marco da história das relações entre os dois países”, acrescentou  o diplomata.
O embaixador recordou que os presidentes Agostinho Neto e Samora Machel foram os precursores e impulsionadores das relações entre os dois países, quando em 1978, em Luanda, assinaram o primeiro acordo de cooperação económico, científico-técnico.
 Santos Álvaro  fez ainda uma incursão da participação de Samora Machel na luta que conduziu à independência de Moçambique, sublinhando que o primeiro Presidente de Moçambique continua a ser fonte de inspiração e referência incontornável para muitos jovens moçambicanos e de outros quadrantes do mundo.

capa do dia

Get Adobe Flash player



ARTIGOS

MULTIMÉDIA