Sociedade

Programa abrange 5.915 crianças do Bié

Ao todo, 5.915 crianças da província do Bié, oriundas de 3.194 famílias de 79 aldeias de dois municípios (e não 20 mil como foi grafado na edição de ontem), começaram a receber na quinta-feira os primeiros pagamentos, no âmbito do Programa de Transferências Sociais Monetárias, implementado pelo Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher.

Além de receber o valor monetário de 3.000 kwanzas por criança, em cada mês, pago de forma trimestral, que deverá ser investido na sua alimentação, equilibrada, saúde e protecção; este programa piloto vai beneficiar, numa primeira fase, cerca de 20.000 crianças menores de cinco anos, em três províncias, nomeadamente Bié, Moxico e Uíge.
As transferências monetárias serão acompanhadas de campanhas de educação comunitária, acções complementares, como a melhoria do acesso aos serviços sociais, esperando-se que no futuro possa ser complementada, também, com acções relacionadas com a melhoria da produção agrícola e de desenvolvimento de iniciativas económicas para aumentar a renda familiar.
O representante do UNICEF em Angola, Abubacar Sultan, reafirmou o compromisso de continuar a apoiar o Governo angolano no acompanhamento contínuo e na implementação de mecanismos de monitorização para garantir a sua expansão e sustentabilidade. Para Abubacar Sultan, as crianças, com menos de cinco anos de idade, são um dos grupos mais vulneráveis da sociedade mas, paradoxalmente, são a garantia de um futuro promissor para Angola.
Atendendo que é neste período que ocorre a fase mais importante do desenvolvimento de qualquer ser humano, Abubacar Sultan considera fundamental começar este processo pelas famílias que têm sob a sua responsabilidade crianças menores de cinco anos.
Segundo ele, o lançamento do Programa de Transferências Sociais Monetárias deve garantir que o marco da protecção social de Angola esteja consolidado, através da aprovação da lei e da política da acção social.

Tempo

Multimédia