Sociedade

Projecto "Nascer com Registo" formou parteiras tradicionais

Mais de mil parteiras tradicionais de sete províncias do país foram formadas em registo de nascimento pelo Ministério da Família e Promoção da Mulher, no âmbito do projecto “Nascer com Registo”, disse ontem a coordenadora do projecto.

Parteiras tradidicionais recebem formação para melhor desempenharem o seu papel
Fotografia: Fernando Camilo | Edições Novembro

Os dados foram apresentados por Sandra Ernesto, na cerimónia de encerramento de mais uma acção formativa sobre o registo de nascimento, que beneficiou 50 parteiras tradicionais do município do Lubango.
Durante dois dias, as parteiras tradicionais do Lubango foram informados sobre questões como “Nascer com registo”, “Como obter o registo de nascimento e a sua utilidade” e “Importância da parteira tradicional na comunidade e no sistema nacional de saúde”.A acção formativa incluiu questões como “Higiene”, “Cuidados primários de saúde”, “Tratamento da malária durante gravidez”, “Acção pré-natal”, “Ajuda no parto e ao recém-nascido”, “Amamentação” e “Vacinação”.
Na Huíla estão inscritas na Associação Nacional mais de 12 mil  parteiras tradicionais.
O projecto “Nascer com Registo” já beneficiou parteiras das províncias de Malanje, Luanda, Bié, Uige, Huíla, Huambo e Zaire, que também vão formar outras que vivem no interior destas localidades, para que possam ter conhecimento sobre a importância do registo.
As parteiras tradicionais têm desempenhado um trabalho relevante no seio das comunidades, onde realizam partos a mães sem condições para chegarem às unidades hospitalares.

Tempo

Multimédia