Sociedade

Queimadas na Funda preocupam Administração

Manuel Barros | Cacuaco

As queimadas que se registam na comuna da Funda, município de Cacuaco, em Luanda, estão a preocupar a Administração local, que nos últimos dias tem vindo a realizar actos de mobilização e sensibilização das comunidades agrícolas da região.

População camponesa do município de Cacuaco tem sido sensibilizada para evitar queimadas
Fotografia: DR

Pretende-se que está prática não seja reiterada pelas comunidades, que fazem queimadas com o intuito de preparar os solos para a lavoura, ou mesmo para a caça furtiva, disse o administrador da Funda, Zeca Bandeira, referindo que a acção é preocupante, porque afecta o meio ambiente e a saúde da população.

Zeca Bandeira salientou que manteve encontros com a Direcção Municipal do Ambiente, com moradores e Polícia Nacional, para juntos combater o fenómeno de queimadas que se tem registado na Funda, apesar de ser em pequena escala.

No entender de Zeca Bandeira, há camponeses que têm por hábito fazer queimadas, porque acham ser uma prática importante para fertilizar os solos, o que cientificamente não é verdade, porque isso acaba por retirar os nutrientes dos solos e prejudica o crescimentos das plantas.

O administrador sublinhou que o trabalho de sensibilização é contínuo e juntamente com a Polícia Nacional vai trabalhar no sentido de levar as pessoas que teimam em continuar com esta prática, a responder criminalmente.

Depois da colheita, muitos camponeses acabam por amontoar grande quantidade de capim para queimar, uma prática reprovável. “ Estamos a trabalhar com técnicos do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), de maneira a melhor orientar e sensibiliza-los para um melhor uso do capim e não queima-lo”, disse Zeca Bandeira.

Zeca Bandeira afirmou que a retirada de arbustos e capim, por processos mecânicos, é o mais aconselhado, em vez das queimadas. Deve-se fazer as lavouras por processos mecânicos que não são evasivos e mantêm os nutrientes dos solos.

Zeca Bandeira disse que o capim deve servir de estrume para ajudar a enriquecer a estrutura dos solos, protegendo contra erosão, por acção da ventania ou chuva que podem retirar as partículas indispensáveis para o florescimento das plantas.

“Muitas vezes, fazemos sentadas nos campos de cultivo onde essas populações trabalham no sentido de mostrar o mal que as queimadas provocam ao meio ambiente e, pouco a pouco temos notado que o nosso esforço tem surtido efeito junto das populações”, referiu Zeca Bandeira que denunciou os roubos que têm acontecido nas zonas de produção, tubagem que servem para irrigar, além de moto-bombas, tendo adiantado que o Comando da Polícia da Comuna da Funda está a trabalhar com esses dados e fruto do trabalho de investigação já foi possível recuperar algum material e entregue aos seus legítimos donos.

Tempo

Multimédia