Sociedade

Rafael Marques recebe prémio

Nhuca Júnior

O jornalista angolano Rafael Marques recebeu ontem, na Nigéria, o prémio “Herói Mundial da Liberdade de Imprensa”, atribuído pelo Instituto Internacional da Imprensa (IPI).

Na cerimónia, o jornalista foi representado por John Githongo, um activista anti-corrupção do Quénia, de acordo com informação avançada ao Jornal de Angola pelo próprio Rafael Marques.
O jornalista disse não ter viajado para a Nigéria por “razões pessoais”, tendo informado ao IPI que não estaria presente e que seria representado por John Githongo no congresso da instituição IPI, onde o prémio foi entregue.
“Movido pelo espírito panafricanista, pedi ao meu irmão queniano, John Githongo, um grande activista contra a corrupção em África, para representar-me”, acentuou Rafael Marques, que disse ter também indicado o queniano para, como prelector, falar sobre a corrupção em África, durante o Congresso do IPI. Sobre a distinção, Rafael Marques declarou que o “grande prémio” é o que recebeu em Angola, referindo-se às “manifestações de solidariedade e apoio de muitos concidadãos”, depois de ter sido anunciado que era o 70º Herói Mundial da Liberdade de Imprensa.
“Vejo que a sociedade está a mudar”, reconheceu Rafael Marques, salientando que luta pela mudança de consciência para que os angolanos “não continuem reféns dos corruptos e da corrupção”.
O angolano é o terceiro jornalista lusófono a receber o prémio, criado há 70 anos.

Tempo

Multimédia