Reconhecidas dificuldades na escolha do soba grande


12 de Janeiro, 2017

Fotografia: Mota Ambrósio|Edições Novembro

As autoridades administrativas da Ingombota admitem a existência de dificuldades para escolha do sucessor do soba grande da Ilha do Cabo, Francisco Miguel Menezes “Miguelito”, falecido em Agosto de 2016.

O chefe para área de cultura e turismo da administração distrital da Ingombota, Costa e Silva, disse que até ao momento há pouco interesse por parte dos parentes da linhagem materna, que são os elegíveis ao cargo conforme a tradição dos ilhéus. “É complicado, porque o soba antes de morrer não indicou o sucessor e não podemos indicar de imediato um sucessor saído da comunidade. Vamos tentar arranjar um conselheiro entre os mais velhos, no sentido de persuadir a família do falecido a reunir-se e escolher o sucessor no cargo”, esclareceu. Costa e Silva sugeriu como provável conselheiro, por ter "uma certa influência”, o actual soba da Ilha do Mussulo. Depois da morte do soba, diz a tradição da Ilha do Cabo, é feito um óbito com a duração de um mês. Segue-se a escolha do sucessor, geralmente um sobrinho, filho da irmã do falecido soba, e imediatamente organiza-se uma cerimónia tradicional de entronização.
O soba tem como dever respeitar e fazer-se respeitar perante a comunidade e ajudar a resolver os seus problemas. Entre outras obrigações, desempenha o papel de juiz e sensibiliza a comunidade para campanhas de vacinação, além de ser o interlocutor da administração nos assuntos da comunidade.
A Ilha do Cabo está dividida pelos sectores da  Chicala-I, Ponta da Ilha, Salga, Casa Lisboa, Ponto Final e bairro da Areia Branca. É habitada por aproximadamente dez mil habitantes.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA