Sociedade

Redes sociais devem ser usadas com ética

Adolfo Mundombe | Huambo

Os jornalistas e os técnicos de gabinetes de comunicação institucional e imprensa devem saber utilizar com ética as informações que circulam nas redes sociais, defendeu, segunda-feira, na cidade do Huambo, o sociólogo Piedade Chikela.

Fotografia: DR

O especialista em Sociologia, que falava no primeiro encontro metodológico sobre o impacto da ética na comunicação e redes sociais, alertou para a necessidade do uso correcto das redes sociais, devendo o jornalista comunicar apenas os “factos reais”.
Piedade Chikela acentuou que a comunicação evoluiu, razão pela qual “é preciso acautelar as emoções para que os técnicos de comunicação e imprensa e os jornalistas se distingam de outros usuários, promovendo a moralização da  sociedade”.
O sociólogo salientou que as redes sociais não devem ser usadas para cometer difamação, calúnia e outros males que prejudiquem a honra de outras pessoas e pediu aos gestores de instituições que comuniquem com verdade, para impedir o surgimento de especulações.
“As redes sociais têm o seu lado positivo, mas também trazem mal-estar à socialização das famílias, empresas e instituições”, afirmou Piedade Chikela, que alertou, ainda, para a necessidade de as pessoas, entre adultos e crianças, estarem vigilantes porque, através das redes sociais, indivíduos mal-intencionados cometem vários crimes, como burla e promoção da pornografia, incluindo a infantil.

Tempo

Multimédia