Matrículas com cobranças exorbitantes

Adolfo Mundombe | Huambo
12 de Janeiro, 2017

Pais e encarregados de educação estão descontentes e preocupados com as elevadas somas de dinheiro que têm de desembolsar no acto de matrícula dos seus filhos e tutelados nas escolas públicas e privadas na província do Huambo.

A reportagem do Jornal de Angola constatou ontem que em quase todas as escolas públicas do ensino geral e técnico-profissionais está a ser cobrado dinheiro para as confirmações de matrículas.
João Artiaga, encarregado de educação, disse que na escola 34, localizada no centro da cidade, as cobranças vão de mil kwanzas para a confirmação de matrícula para o primeiro ciclo e o ensino secundário, e 2.300 kwanzas para as novas matrículas.
João Artiaga referiu que não está a ser fácil conseguir matricular alguém numa escola pública, dado os valores que estão a ser pedidos. 
“Dirigimo-nos às escolas públicas para matricular os nossos filhos, no sentido de livrarmo-nos das escolas privadas, que quase cobram o dobro das escolas do Estado, mas nem por isso está a ser fácil”, desabafou.
Arlete Njunjuvili, encarregada de educação, disse que está com dificuldade de pagar os 6.600 kwanzas para garantir a matrícula dos seu três filhos.  
 Os institutos médios de Saúde e de Educação são os que estão a registar, na cidade do Huambo, maiores enchentes de jovens alunos, pais e encarregados de educação. As aglomerações começam logo nas primeiras horas do dia.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA