Sociedade

Telemóvel pode aumentar o risco de cancro cerebral

O uso excessivo do telemóvel  aumenta o risco de um tipo agressivo de cancro cerebral, revela  um estudo publicado recentemente  por pesquisadores da universidade de Bordeaux na revista "Occupational & Environmental Medicine".

Para reduzir o risco especialistas recomendam afastar ao máximo o telemóvel do ouvido
Fotografia: José Soares

A equipa de pesquisqdores dirigida por Gaëlle Coureau demonstra que há dois tipos de tumores associados a uma prolongada exposição à radiofrequência desses aparelhos, os gliomas (agressivos) e os meningiomas (mais fáceis de operar).
As pessoas que utilizam o telemóvel mais de 15 horas por semana, o que representa 30 minutos por dia, têm maior risco de que esses tumores se desenvolvam, revela. Os pesquisadores analisaram o perfil de 450 doentes de cancro e utilizadores de telemóveis acima de 15 anos entre Junho de 2004 e Maio de 2006 em quatro departamentos franceses e compararam com 900 utilizadores em perfeito estado de saúde. />O estudo "Cerenat" confirma as conclusões do Centro Internacional de Pesquisas sobre o Cancro, que no ano passado estabeleceu que "existe uma ligação entre o uso do telefone portátil e a aparição de gliomas".
Para reduzir os riscos de cancro cerebral, organizações como o Instituto Nacional de Prevenção e Educação para a Saúde de França recomendam afastar o máximo possível o telefone da cabeça, usar o dispositivo com as mãos livres ou evitar chamadas longas, com o objectivo de impedir o excesso de exposição às ondas electromagnéticas.

Tempo

Multimédia