Sociedade

Serviços de água e energia sem restrições na cidade do Dundo

Armando Sapalo

Os serviços de água e energia eléctrica na cidade do Dundo, capital da Lunda-Norte, e arredores serão prestados sem interrupções, durante o período do Estado de Emergência, garantiram os responsáveis das empresas públicas de Águas e Saneamento e de Distribuição de Electricidade.

Fotografia: Benjamin Cândido | Edições Novembro

Em declarações ao Jornal de Angola, André Camilo e Felisberto Gomes asseguraram que, no âmbito das medidas de prevenção e combate da Covid-19, não haverá cortes por falta de pagamento do consumo de água potável e energia eléctrica. “Tudo está a ser feito para se evitar, ao máximo, a paragem desses serviços”, disseram. 

O presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Águas e Saneamento da Lunda-Norte ( EPASLN), André Camilo, referiu que, na cidade do Dundo, estão em funcionamento dois sistemas de água , com níveis de produção suficientes para garantir um abastecimento regular. “As estações de captação do Mussungue, com uma capacidade de produção de 200 metros cúbicos por hora, e a do Luachimo, com 560 metros cúbicos, vão assegurar o abastecimento regular do precioso líquido aos mais de 20 mil habitantes da cidade do Dundo”, garantiu. 

André Camilo frisou ser crucial manter o abastecimento de água às famílias para a prevenção e combate da Covid-19. “Estamos a reforçar as medidas de prevenção, abastecendo regularmente a àgua às populações”, referiu.  O maior reservatório de água da cidade do Dundo, localizado no bairro Satxingongo, com uma capacidade de cinco mil metros cúbicos, oferece garantias para fazer uma distribuição ininterrupta aos principais aglomerados populacionais do casco urbano e periferia da capital da Lunda-Norte. Embora esteja em curso a redução temporária do pessoal, André Camilo disse que foram constituídas equipas nas áreas de produção, tratamento e distribuição de água, para se evitar eventuais embaraços no abastecimento do precioso líquido.

À semelhança da cidade do Dundo, acrescentou, esforços estão a ser envidados para garantir o acesso a água nos municípios onde foram construídos sistemas modernos de abastecimento do líquido.
O presidente do Conselho de Administração da Empresa Pública de Águas e Saneamento da Lunda-Norte apelou às famílias a racionalizarem o consumo de água, evitando o desperdício. “Famílias devem também criar reservas de água, tendo em conta que podem eventualmente surgir constrangimentos técnicos e operacionais no funcionamento normal dos sistemas”, alertou.

Energia sem cobranças

O director do Centro de Distribuição da Empresa Nacional de Electricidade (ENDE), na Lunda-Norte, Felisberto Gomes, assegurou que, durante o período do Estado de Emergência, ficam suspensos os cortes e cobranças das dívidas aos clientes. “Todas as medidas coercivas, por falta de pagamento, estão adiadas, sendo que a responsabilidade de pagar o consumo de energia eléctrica está ao critério do próprio cliente”, disse.
Felisberto Gomes disse que, com vista a evitar aglomerados de mais de 50 pessoas, estão abertas apenas duas das três agências de atendimento ao público na cidade do Dundo. Acrescentou que os trabalhadores, com idade superior a 50 anos e que padecem de doenças crónicas, como a hipertensão e diabetes, foram temporariamente dispensados.
A ENDE tem disponíveis 16 megawatts para a cidade do Dundo, onde tem registado 4.141 clientes, no sistema pré-pago, e 16.127 no pós-pago.

Tempo

Multimédia