Sociedade

Suspeitos de assaltos a vendedoras detidos

André da Costa

Um grupo integrado por dois angolanos e cinco  cidadãos da República Democrática do Congo  (RDC) foi detido na semana passada, no município do Cazenga, pelo Serviço de Investigação Criminal, por suspeita de roubos a vendedoras do mercado do Kikolo.

Indivíduos detidos já se encontram a contas com a justiça
Fotografia: DR

Uma fonte ligada ao Serviço de Investigação Criminal (SIC) disse ontem ao Jornal de Angola que o grupo, composto por oito pessoas, uma das quais em fuga, planeava os roubos e que as vítimas eram preferencialmente vendedoras do Mercado do Kikolo.
Às primeiras horas da manhã e no final da tarde, posicionavam-se em pontos estratégicos, por onde passam vendedoras, para realizar assaltos, acentuou a fonte do SIC.
Um indivíduo, de acordo com a fonte, parente de uma das vendedoras, é quem fornecia aos comparsas toda a informação sobre a movimentação e características das vítimas, que eram seguidas a pé. Um dos angolanos integrantes do grupo já é conhecido da Polícia por ter estado detido em esquadras do município do Cazenga por ofensas corporais, roubo e furto de dinheiro na via pública.
O indivíduo em referência esteve detido em 2015 na Cadeia de Viana, acusado de roubo de uma carteira pertencente a uma senhora. Libertado no ano passado, juntou-se ao grupo agora desmantelado pela Polícia Nacional.
O porta-voz do Serviço Penitenciário, inspector-chefe Menezes Cassoma, disse que o trabalho de reabilitação nas cadeias é direccionado fundamentalmente os condenados, que, durante o cumprimento da pena, aprendem mecânica, electricidade, pintura, caixilharia de alumínio e informática.
Angola tem 40 estabelecimentos prisionais, com cerca de 2.300 reclusos, entre condenados e detidos.

Tempo

Multimédia