Sociedade

Terapeuta aconselha protecção do brututo

As potencialidades medicinais existentes na fauna da província do Cuanza Sul, como alternativa à medicina convencional, foram destacadas no Sumbe pelo presidente da Câmara Profissional dos Terapeutas de Medicina Tradicional Natural (Catemeta), Kitoco Maiavangua.

Kitoco Maiavangua preside a Câmara de Terapeutas
Fotografia: Francisco Bernardo | Edições Novembro

“Queremos fazer da planta brututo, originária do Cuanza Sul, enviada recentemente a Espanha para estudos complementares, como o principal alicerce da medicina terapêutica, tendo em conta o seu valor curativo para a Hepatite B”, afirmou Kitoco Maiavangua, num encontro com terapeutas locais.
Kitoco Maiavangua esclareceu que “os estudos preliminares foram feitos no Centro de Investigação, daí que a exploração desta planta deve estar regulada e acompanhada pelas autoridades, como forma de se prevenir grandes devastações”.
Neste sentido, o responsável afirmou que protocolos serão assinados com as autoridades locais para a protecção, conservação e valorização do brututo. 
Farmácias com produtos de medicina natural serão instaladas no Sumbe.

Tempo

Multimédia