Sociedade

Uíge: Apreendidos três templos da IURD

Joaquim Júnior| Uíge

Três templos da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), na província do Uíge, dos quais dois situados nos bairros Kakiuia e Papelão, na sede capital, e outro no município do Negage, foram apreendidos, quarta-feira, pela Procuradoria-Geral da República (PGR), na sequência do processo judicial que envolve os líderes da congregação, sobre alegados crimes de branqueamento de capitais, fraude fiscal e associação criminosa.

Fotografia: DR

O procurador-geral adjunto junto do Serviço de Investigação Criminal (SIC) no Uíge, Naldemar Miguel Lourenço, esclareceu ao responsável do templo da IURD, situado no bairro Kakiuia, que o encerramento dos templos da Igreja se deve ao cumprimento das diligências em torno do processo-crime nº 3410/19, instruído pela PGR junto do Serviço de Investigação Criminal.

No local, elementos da PGR e agentes do SIC, colocaram selos em todas as portas que dão acesso aos templos e compartimentos adjacentes aos edifícios, tendo acautelado os pastores e os demais membros da congregação para não removerem os artefactos colocados nas portas, sob pena de incorrerem no crime de desobediência.

Humberto de Almeida, pastor da IURD, disse que o acto é o cumprimento da parte jurídica angolana, resultante dos conflitos internos que culminaram com a criação da Comissão de Reforma da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola.

“O conflito interno na IURD já foi ultrapassado, com a criação da Comissão de Reforma. Esperamos celeridade da Justiça, para que os templos sejam reabertos e voltarem aos cultos, com vista à pacificação dos espíritos de muitas famílias que tanto precisam de serviços divinos”, referiu o religioso.

Tempo

Multimédia