Sociedade

Vítimas de acidente já foram sepultadas

Jaquelino Figueiredo | Soyo

As sete vítimas do  acidente de viação ocorrido na madrugada de sábado na Estrada Nacional  100, entre a localidade do Kingombo (Kinzau) e Mangue Grande (Soyo),  foram enterradas ontem, na aldeia do Dobo, comuna do Luvo, a 60 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo. 

Fotografia: Adolfo Dumbo | Edições Novembro-Soyo

Os corpos, que se encontravam na morgue do Hospital Municipal do Soyo, foram ontem transladados para a aldeia do Dobo na comuna do Luvo. A administradora municipal do Soyo, Lúcia Tomás, disse que as autoridades locais prestaram apoio em valor monetário e transporte.
“Reunimos com a direcção da igreja e demos o nosso apoio, com vista a ajudar na criação de condições para a transladação dos corpos para as suas aldeias e na transferência dos feridos, mais graves, para Mbanza Kongo”, disse.
Tendo em conta a tragédia, Lúcia Tomás apelou aos utentes das estradas na região para respeitarem as regras de trânsito, para evitar fatalidades que resultam em óbitos e ferimentos graves.
A administradora solicitou aos agentes de viação e trânsito destacados nos diferentes postos ao longo da Estrada Nacional 100 para que não facilitem os utentes que desrespeitam o Código de Estrada.
O responsável de relações públicas da igreja ACKA, Alberto Onachuto, confirmou ter recebido apoio da Administração Municipal do Soyo no valor de duzentos mil kwanzas.
De acordo com Alberto Onachuto, a igreja solicitou a transferência, para Mbanza Kongo, de alguns pacientes para continuarem a receber tratamento, por não terem família no Soyo.
O Jornal de Angola apurou  que sete dos 20 feridos  internados no Hospital Municipal do Soyo receberam alta e 11 outros foram ontem transferidos para Mbanza Kongo a pedido dos familiares e da igreja. Dois outros graves continuam a ser assistidos no Soyo.
A maioria dos feridos transferidos para Mbanza Kongo sofreu contusões cerebrais leves e a equipa médica considera o quadro satisfatório.

Tempo

Multimédia