Sociedade

Vítimas de acidente ainda hospitalizadas

As três crianças internadas no Hospital Geral de Benguela, desde quinta-feira, na sequência de um acidente de viação, envolvendo uma viatura em que seguiam 17 pessoas, na maioria alunos do ensino especial, continuam em estado grave.

As três crianças internadas precisam de cuidados especiais
Fotografia: Edições Novembro

A informação foi avançada ontem à Angop pelo porta-voz do Hospital Geral de Benguela, médico Aldemiro Kussivila, que disse continuarem os três alunos, de oito, 12 e 13 anos,  internados e estáveis, mas com “prognóstico reservado”.
O médico adiantou que as três crianças vão continuar internadas por precisarem  de cuidados especiais, a fim de serem acauteladas eventuais alterações no quadro clínico.
As crianças, de acordo com o médico, sofreram politraumatismos graves, sobretudo na cabeça, braços e pernas, razão por que estão aos cuidados dos serviços de ortopedia e de neurocirurgia.
Uma das três vítimas é uma criança de 13 anos, a quem foi colocada uma tala de imobilização, devido a uma fractura no fémur e no antebraço. “Foi encaminhado sexta-feira para a secção de Pediatria, onde recebe cuidados de ortopedia”, informou o médico. As outras duas crianças têm oito anos e 12 anos. Ambas estão na condição de politraumatizados, com contusões cerebrais e escoriais noutras regiões do corpo, encontrando-se sob os cuidados da área de neurocirurgia.
A área de Psicologia Clínica do hospital está a dar apoio psicológico aos familiares das vítimas. Um total de 12 dos 15 feridos já receberam alta hospitalar pouco tempo depois de terem dado entrada no Banco de Urgência.
O acidente de viação, ocorrido no troço entre Benguela e Lobito, registou a morte de duas jovens. O acidente ocorreu quando rebentou um pneu do Toyota Hiace, alugada por encarregados de educação para transportar alunos da Escola do Ensino Especial de Benguela, provocando o despiste e capotamento do veículo.

Tempo

Multimédia