Sociedade

Zona Verde “esquecida” há mais de 20 anos

Edna Mussalo

Vários munícipes do distrito urbano da Maianga, em Luanda, manifestaram o seu descontentamento ao governador da província, Sérgio Rescova, por causa do estado de abandono em que se encontra a Zona Verde, no Bairro Alvalade, encerrado há mais de 20 anos para obras.

Vista de uma parte do parque da Zona Verde do Alvalade
Fotografia: Maria Augusta|?Ediçoes Novembro

Na altura considerada como o pulmão da cidade capital, o encerramento da Zona Verde de Alvalade propiciou que o espaço fosse transformado em lixeira a céu aberto, urinol público e palco de diversão de delinquentes, moradores de rua e utilizadores de drogas e local preferido para violações e abusos sexuais.
O espaço, que continha árvores, áreas verdes e espaços de lazer, foi encerrado para obras de reabilitação, mas, segundo os moradores, já lá vão mais de 20 anos e até agora não se fez nada. Os moradores manifestaram tal desagrado durante uma visita que Rescova efectuou àquela zona da cidade de Luanda, na sexta-feira.
Fernando Aguiar, presidente da comissão de moradores do bairro adjacente ao espaço, disse ao Jornal de Angola que esta situação fez com que o espaço se tornasse hoje um lugar preferido dos delinquentes e os moradores passaram também a fazer dele um contentor de lixo.
No final da visita de campo, que se estendeu aos bairros Rocha Pinto e Samba, onde também ouviu as preocupações dos moradores, Sérgio Rescova reuniu com os administradores municipais, distritais e a presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda.

Tempo

Multimédia